Materiais exclusivos!

Pilates Clássico

O Pilates, método criado por Joseph Pilates, anteriormente chamado de Contrologia, continua sempre a evoluir. Para manter as tradições e os principais exercícios que Joseph Pilates desenvolveu, temos o Pilates Clássico.

Pilates Clássico

pilates-classico

Contrologia: a Origem do Método Pilates

A Contrologia, de forma resumida, teve origem quando o alemão Joseph Pilates uniu sua experiência em diversos esportes com a filosofia sobre exercícios orientais e ocidentais, condicionamento físico e saúde, visando um equilíbrio entre o corpo e a mente.

Confira os artigos sobre Pilates Clínico

Porém, vale ressaltar o contexto histórico que o mundo passava na época da criação do Método Pilates Clássico para compreender melhor seus objetivos: a sociedade se modernizava; surgiam os automóveis; novas filosofias apareciam (como a Psicanálise de Freud e a Teoria da Relatividade de Einstein); a literatura ressurgia outra vez sombria, com nomes como James Joyce e Franz Kafta; Picasso desfigurava e reinventava a arte, contrariando a fotografia que desbancaria as pinturas... O mundo se reinventava nas mais diversas esferas da sociedade europeia, trazendo tanto diversas inovações como também uma alienação da classe operária, que se tornava (já naquela época), mais sedentária e com uma saúde precária.

pilates-classico
Pilates Clássico - Joseph Pilates. (Foto: Divulgação)

Quando a Primeira Guerra Mundial teve início, Joseph foi confinado por sua nacionalidade alemã, onde colocou em prática sua metodologia, denominada Contrologia junto com seus colegas de confinamento. Foi nessa época que os primeiros aparelhos foram criados para auxiliar os processos de alongamento, fortalecimento e alinhamento corporal, entretanto, ainda como aparatos rudimentares e distante dos atuais. Tais aparelhos só foram refinados quando Joseph retornou a Hamburgo, na época em que englobou ideias da dança ao seu método, além da forte influência da ginástica contemporânea. Seus resultados podem ser vistos no final da década seguinte, quando a Contrologia é levada aos Estados Unidos.

A Evolução da Contrologia e o Pilates Clássico

Durante o êxodo alemão da década de 20, Joseph encontrou sua futura esposa, a enfermeira Clara (que seria a parte teórica do Método Pilates Clássico, enquanto ele se caracterizava pela parte prática do método). Juntos e residentes da cidade de Nova Iorque, foi nessa época que disseminariam através do livro “Sua Saúde” os benefícios de uma vida ativa em uma sociedade cada vez menos saudável e mais sedentária, com um trecho destinado à publicidade de suas ideologias e de seus aparelhos.

Confira os principais artigos sobre Pilates para mulheres

Somente na década de 40 que seu segundo livro, “Retorno à Vida Através da Contrologia” foi publicado, compilando o desenvolvimento da Contrologia com alguns exercícios para serem feitos em casa. O desenvolvimento propriamente dito se deve graças à grande relação que Joseph tinha com figuras do mundo da dança (tais como dançarinos, coreógrafos e diretores), mas principalmente pelo benefício que a Contrologia levava aos praticantes de dança. Essa filosofia de trabalho foi mantida mesmo após seu falecimento, em 1967, graças a sua esposa Clara, que continuou o comando de seu Studio por 10 anos, até falecer. A não ser por seu segundo livro, mais nada de seu trabalho foi publicado devido seu método possessivo de exercícios e, mesmo tendo lecionado para diversos alunos, se manteve relutante em confiar seus ideais a outra pessoa além de sua esposa, mantendo-se o único Professor do seu estúdio.

Somente em 1980 que o livro “O Método Pilates de condicionamento físico e mental” foi publicado, estabelecendo claramente (e refinando) sua técnica e seus exercícios de solo. Esse fato, principalmente, somado à atitude que Joseph tinha junto aos seus alunos, é o motivo de hoje dispusermos de diversas linhas de Pilates Clássico: seus primeiros aprendizes, como Ron Fletcher e Carola Trier) tinham a tendência de deixar a companhia de Joseph para abrirem seus próprios estúdios ou seguirem outras atividades, enquanto que os últimos aprendizes permaneceram juntos de seu mestre (Romana Kryzanowski) ou retornaram sob sua tutela com uma filosofia diferente (Eve Gentry), tornando os exercícios mais simples para realização.

Como dar aulas de Pilates avançado?

Portanto, seus princípios conhecidos como “Pré-Pilates” moldaram a forma como seus aprendizes “herdaram” a técnica, passando a lecionar de forma pessoalmente diferente: alguns misturaram a Contrologia com suas próprias filosofias, enquanto outros aproveitaram apenas alguns fragmentos, originando consequentemente diversas interpretações do trabalho de Joseph.

Sabendo disso, podemos dizer que os aprendizes que permaneceram por mais tempo ao seu lado foram os que herdaram com mais propriedade suas características e, dessa forma, ministraram o Método mais próximo do original: Romana Kryzanowska é dita como a sucessora de Joseph Pilates e adota o termo “Authentic Pilates” para diferenciar sua técnica das demais.

Pilates Clássico x Pilates Contemporâneo

O Pilates Clássico é o Método ensinado de forma tão inalterada quanto aquela passada originalmente, mantendo seus seis princípios definidos na Contrologia (concentração, controle, centramento, fluidez, precisão e respiração), além de seguir a ordem descrita e utilizando somente os aparelhos e acessórios originais, sem alteração de forma ou tamanho.

O Método Clássico descrito acima é composto pelos 34 exercícios, todos com seus nomes em inglês, feitos em ordem de dificuldade crescente e específica, respeitando o número de repetições, seguindo a progressão dos movimentos: de deitado para sentado, ajoelhado e por fim em pé, iniciando e terminando a aula quase sempre da mesma forma. Outro fator importante do Pilates Clássico é a maneira de respirar; em exercícios específicos, a respiração é primordial. Entretanto, na maioria dos exercícios do Pilates Clássico é necessário que o aluno apenas respire de forma natural.

Já o fim da aula do Pilates Clássico é marcado por exercícios de maior complexidade e grande vigor, que demandam mais do corpo quando comparado ao início da aula e em sua maioria, com o aluno na vertical (em pé), finalizando completamente revigorado e pronto para as atividades do dia a dia.

Enquanto isso, o Pilates Contemporâneo utiliza aparelhos modificados e que sofrem alterações constantemente ou que apresentem modelos e linhas diferentes. O mesmo ocorre com os acessórios, que não são necessários no exercício, mas são adicionados ou removidos de acordo com o intuito do professor.

Outra alteração é referente aos exercícios e à sequência da aula; não existe uma padronização e cada studio segue seu critério e é normal não repetirem exercícios na mesma semana, nesse quesito, o professor ou o studio têm total liberdade de repassarem movimentos em uma ordem diferente do Pilates Clássico e, quando os passam, geralmente são variações ou progressões de exercícios pouco conhecidos e sem nomenclaturas específicas. Dessa forma é mais comum um movimento específico para um grupo muscular ou para uma articulação.

Quanto a respiração, no Pilates Contemporâneo há uma grande preocupação entre a sincronia do movimento do corpo com o movimento dos músculos da respiração, fazendo com que o aluno inspire ao mesmo tempo em que realiza uma parte exercício (ida), expirando enquanto completa (volta), ou apenas expirando no movimento e inspirando na posição inicial e vice-versa. Mesmo que faça um sentido científico, não é natural do corpo realizar uma atividade de vida diária com a respiração associada e rítmica (como inspirar sempre que o MMII direito alcançar um degrau na escada, por exemplo).

Outro fator comum entre os studios é a finalização da aula, que tende a desacelerar o corpo e acabar em um alongamento, uma mobilização neural ou até uma massagem como mimo. Isso é outro ponto que varia de professor para professor, de studio para studio.

Então, qual é o Método Correto?

Simples: ambos.

Ambos, pois o Pilates Clássico oferece uma progressão clara e desafiadora para o corpo inteiro, focando a atenção na posição de cada segmento corporal, no seu alinhamento e na coordenação dos movimentos com a respiração correta. O resultado dessa equação é adquirido e observado aula por aula, seguindo os seis princípios originais proposto por Joseph Pilates: corpo forte, equilibrado e flexível, uma mente clara e ágil e um espírito alegre e harmonioso.

Enquanto isso, o Método Contemporâneo oferece uma maior variedade de exercícios, aparelhos e acessórios e que podem ser modificados caso o aluno tenha alguma necessidade específica, além da possibilidade de utilizar o movimento para fins terapêuticos, desde que os aspectos originais sejam observados com cautela.

Portanto, veremos benefícios claros desde que o profissional responsável tenha competência para compreender os objetivos do aluno e suas particularidades. Por isso, busque sempre uma clínica renomada com profissionais especializados da fisioterapia para seu melhor aproveitamento.

Quer ficar de olho em todas curiosidades sobre Pilates Clássico?

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.